facebook
vimeo
instagram
newsletter
02 0

Posted by  in Espetáculos

A digressão 2015 de “Uma menina bem guardada” encerrou com chave de ouro, esgotando, no passado dia 28 de Novembro, o Teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, onde cerca de 300 pessoas assistiram à comédia satírica de costumes de Eugène Labiche.

Encenado por Rui Ramos, o espetáculo estreou em Serpa em Junho de 2015, com o objetivo de ser apresentado nas praças das aldeias e vilas da região.

“Uma menina bem guardada” animou as praças das aldeias do concelho de Serpa (Vales Mortos, Brinches, Pias, Vale de Vargo, Vila Verde de Ficalho e Vales Mortos) e seguiu para outras paragens nos concelhos de Moura (Moura e S. Amador), Castro Verde (Neves Graça), Beja (Salvada), e nas localidades de Alvito, Aljustrel, Sesimbra, Évora, Monchique, Montijo.

O espetáculo inspirado num teatro itinerante e popular, não se ficou pelas noites quentes de Verão e “adaptou-se” para se mostrar em auditórios. Silves e Ponte de Lima foram as localidades que o receberam nos seus teatros.

Na rua ou “em casa”, dos públicos de aldeias rurais com 40 habitantes, como é o caso de Neves da Graça (curiosamente, ou não, no dia do espetáculo “Uma menina bem guardada” a população subiu para 70 pessoas), a públicos mais citadinos, como os de Sesimbra ou do Montijo, certo é que todos receberam com um sorriso nos lábios Anabela Mira, Filipe Seixas, Hugo Fernandes, Susana Gonçalves e Telma Saião, os protagonistas do espetáculo.

Berta, a baronesa de Vales Fofos, Francisco Salvador, Maria e Bartolomeu recolhem-se por ora, mas voltam à estrada no início de 2016 (em carteira até Junho).

 

Apresentação em Salvada, Beja. Foto Nuno Fernandes

Apresentação em Salvada, Beja. Foto Nuno Fernandes

Apresentação em Ponte de Lima

Apresentação em Ponte de Lima

UMA MENINA BEM GUARDADA

Comédia ligeira baseada na intriga e no equívoco, onde o autor (Eugène Labiche), satirizou os costumes da burguesia do século XIX.
A Baronesa de Vales Fofos sai para uma festa noturna e deixa Berta, a sua filha pequena, à guarda de Francisco e Maria, os seus fiéis criados. Estes querem tanto ir ao “Baile dos Encalhados” que decidem levar a miúda com eles. Berta acabará por se perder no meio da confusão. Com o regresso antecipado da Baronesa, como esconder o desaparecimento da criança? Salva por um militar, Berta regressa a casa com experiências novas para contar.
Ficha artística:

38ª produção Baal17 – Companhia de Teatro

Autor_ Eugène Labiche
A partir da tradução de_ Christine Zurbach

Encenação_ Rui Ramos

Interpretação_ Anabela Mira, Filipe Seixas, Hugo Fernandes, Susana Gonçalves e Telma Saião

Cenografia, adereços e figurinos_ Bruno Guerra

 

Fotografia_ José Ferrolho | LocasLocasProducciones

Duração: 55 minutos | M/3

Leave a comment

* required